.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Aonde iremos chegar?




Diz o bom senso comum, que em quaisquer instituições e/ou repartições Públicas, onde haja uma nova administração, dá-se ao novo Gestor, um "crédito de cem dias," para, depois disso, sem açodamento, fazer-se uma primeira avaliação na condução da instituição ou repartição que se está dirigindo.

Neste contexto, foco meu olhar e a minha preocupação, nos rumos que a nossa, até então, valorosa e respeitada Câmara de Vereadores, tende a seguir. As injustificáveis e arbitrárias decisões iniciais, tomadas pelo jovem e imaturo novo Presidente, culminaram com os lamentáveis e detestáveis acontecimentos de anteontem, onde dois Assessores Parlamentares (eficientes, é bom que se diga), foram "às vias de fato," na expressão maior da verdade, pois, segundo registros policiais, houve, sim, "uma tentativa de homicídio," nas proximidades da Casa, dita de Leis!  É absolutamente verdadeiro, que essa contenda teve seu início no interior da Câmara e o seu desfecho, nas proximidades e, a motivação, como não poderia deixar de ser, foi o reflexo da "pura pulítica rasteira," exercida e advogada por alguns edis, com assento aqui na Casa.  "Pulítica essa," traduzida nas falas e nos atos destes mesmos ditos parlamentares, que teimam em não acompanhar a evolução dos tempos e dos costumes.

Cabe ao novo Presidente, na benevolência dos "cem dias," rever algumas posições e não se deixar contaminar pelo tom belicoso, estendido a alguns Assessores, com que vários Vereadores, estão carregados. É no Plenário e na Câmara, como um todo, que se apresentam e se discutem os problemas do Município. E, é no debate das ideias e das (boas) discussões, que esses problemas são resolvidos. Ocorre, que alguns edis, teimosamente, com um olhar no retrovisor do passado, estimulam comportamentos pouco condizentes com os dias atuais. Exemplo disso foi à última Reunião Ordinária, onde pouco se falou das soluções para os grandes e graves problemas com que passam o País; o estado e o município.
Por isso, e com os lamentáveis e injustificáveis fatos acontecidos anteontem, é que o povo, a quem devemos total e absoluta satisfação, informado e alertado pela Imprensa, que no dizer de Rui Barbosa, "são os olhos e os ouvidos de uma Nação," está a se perguntar:

Aonde irão chegar, os nossos Vereadores?



José Bezerra da Costa
Vereador e Presidente Municipal do PSDB

Nenhum comentário:

Postar um comentário