.

terça-feira, 5 de março de 2019

BANCADA DO NOVO RECONHECE JUAN GUAIDÓ COMO LEGÍTIMO PRESIDENTE DA VENEZUELA





O deputado federal Marcel van Hattem (NOVO-RS) liderou nesta quinta-feira, 28/02, um grupo de parlamentares brasileiros contrários à ditadura de Maduro para recepcionarem o presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó.

A bancada do NOVO na Câmara dos Deputados considera que Guiadó é a única liderança na Venezuela capaz de buscar, interinamente, restaurar o Estado de Direito e os fundamentos da democracia representativa no país.

“Guaidó foi eleito para o Parlamento e é o único presidente venezuelano que ainda representa a democracia na Venezuela. Não podemos ficar alheios às atrocidades que Maduro comete contra seu próprio povo”, afirma Marcel.

Enquanto atuava como deputado estadual no Rio Grande do Sul, em 2015, Marcel van Hattem esteve na Venezuela para acompanhar as eleições parlamentares e viu alguns dos absurdos contra a democracia.

“Pude ver como os cidadãos votavam nas eleições: intimidados por armas apontadas por militares que apoiam a ditadura de Maduro e com fome, pois não havia produtos básicos nos supermercados. Mais uma vez o socialismo é aplicado e mais uma vez o resultado é a total falta de liberdade para o povo, como vimos com o fechamento da fronteira com Brasil e a Colômbia e as execuções feitas contra quem tenta desesperadamente comer e viver em paz”, diz Marcel.

O deputado Paulo Ganime (NOVO-RJ) ressaltou que Juan Guaidó foi reconhecido pelo governo brasileiro e por cerca de 50 países como presidente interino da Venezuela. “Nós, do partido Novo, estivemos com ele para demonstrar a nossa solidariedade ao povo venezuelano e também nosso repúdio às ações do governo Maduro”, afirma.

O deputado Gilson Marques (NOVO-SC) parabenizou a postura do presidente e alertou para a macropolítica em torno da questão venezuelana. “Juan Guaidó deixou bem claro que a luta não é contra o Maduro e sim contra algo muito maior: tirania versus democracia. Todos os países devem compreender que a ajuda não pode ser apenas humanitária. É preciso mostrar como uma ideia errada pode escravizar as pessoas”, declarou.

Alexis Fonteyne, deputado federal (NOVO-SP), em discurso na Tribuna, afirmou que “quem apoia o regime de Maduro procura um projeto de poder, um projeto de destruição de país”. Segundo o deputado, quem tem um projeto de Estado investe em educação, saúde, segurança, geração de emprego e aumento da riqueza nacional. “A Venezuela é o socialismo que deu certo. De fato, eles conseguiram acabar com as desigualdades sociais: estão todos na miséria”.

Para Guaidó, a luta na Venezuela é constitucional e o dilema não é exatamente sobre querer guerra ou paz, “é entre democracia ou ditadura”. “O que queremos é recuperar nossa democracia para que as pessoas possam voltar para casa”.

A ajuda humanitária que a Venezuela mais precisa agora é uma mudança de regime, é a saída da ditadura de Nicolás Maduro.


Informações: www.novo.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário