.

quarta-feira, 20 de março de 2019

UEPB prepara parceria com instituição chinesa para instalação de Rádio Observatório na região de Campina



A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) está muito próximo de alcançar um avanço considerado em pesquisa científica na área de Física Espacial. Um convênio tripartite entre UEPB, Universidade Presbiteriana Mackenzie e Academia de Ciências Chinesa National Space Science Center (NSSC) pretende implementar, na região de Campina Grande, um Rádio Observatório voltado para o estudo de eventos que ocorrem na alta atmosfera. Este projeto apresenta a possibilidade de averiguações científicas na área da ionosfera, favorecendo o entendimento de fenômenos na região equatorial do planeta.

Na manhã desta quarta-feira (20), o reitor Rangel Junior recebeu, no Gabinete da Reitoria, o diretor executivo da NSSC no Brasil, Liu Zhengkuan; a secretária-executiva, Sheila Huang; além do pesquisador Yan Chunxiao, para dar andamento a proposta que está diretamente ligada ao desenvolvimento de pesquisa em clima espacial e em telecomunicações. De acordo com o professor de Física da UEPB, Lourivaldo Mota Lima, esse Rádio Observatório funcionará como uma estação de rádio que trabalha em determinada frequência enviando um sinal para o espaço e interagindo com a ionosfera para o recebimento de dados que podem ser usados em diversas frentes.


“A região equatorial da ionosfera tem um potencial enorme para o desenvolvimento de pesquisa que nós chamamos de Clima Espacial. E o interesse maior tem relação direta com as telecomunicações, seja sinal de satélite para TVs e GPS, principalmente. Então, quanto melhor for conhecido o ambiente por onde esses sinais atravessam para chegar até nós, ou daqui da superfície para os satélites, melhor será o aproveitamento do sinal tanto do ponto de vista científico, como também da parte da tecnologia”, explicou Lourivaldo.

Inicialmente, o investimento para a implantação do Rádio Observatório será de U$ 2 milhões, voltados exclusivamente para a instalação dos equipamentos. Já a estrutura completa que compreende as salas de operação, controle e depósito, além das antenas que serão usadas na estação e toda estrutura necessária para o funcionamento do local, faz com que esse valor chegue a U$ 4 milhões. Segundo o professor Lourivaldo, esses recursos serão 100% financiados pela instituição chinesa, cabendo à UEPB a viabilidade da cessão do terreno.

Para o reitor Rangel Junior, essa parceria será muito importante para o desenvolvimento da pesquisa entre as três instituições envolvidas e a UEPB empreenderá todos os esforços necessários para garantir que essa parceria seja estabelecida. Ele destacou que o projeto já vem sendo desenvolvido há alguns meses e disse estar confiante que o Rádio Observatório comece a ser implementado em breve. “No que couber a UEPB, daremos todas as condições para que esse Rádio Observatório seja instalado na região de Campina Grande. Esse diálogo vem acontecendo há quase um ano, já assinamos um protocolo de intenções junto à Mackenzie e agora estamos caminhando para o estabelecimento de uma parceria entre as três instituições. Estamos na iminência da definição do local onde será instalada a estrutura, o que não deve demorar muito”, destacou.


A Universidade Estadual da Paraíba conta com um grupo de pesquisa em Física na Atmosfera que, desde 2004, trabalha com questões relacionadas à Alta Atmosfera. Com a implantação deste Rádio Observatório, professor Lourivaldo Mota acredita que as pesquisas que já são desenvolvidas na Instituição sofrerão avanços consideráveis, uma vez que o grupo de professores possui conhecimento e experiência na área, além de dar possibilidade de qualificar a formação dos alunos de graduação e pós-graduação da área. Também participaram da reunião a pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa, professora Maria José Lima, e o professor do curso de Física, Fernando Bertoni.



 Informações: http://www.uepb.edu.br/
Texto e fotos: Givaldo Cavalcanti

Nenhum comentário:

Postar um comentário