.

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Combate ao trabalho infantil é debatido na Câmara de Santa Cruz





Audiência Pública solicitada pelo Tribunal Regional do Trabalho foi realizada em parceria com a Casa Dr. José Vieira.


Na manhã desta quarta-feira (18), A Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe, realizou audiência pública para tratar do Combate ao Trabalho Infantil e a Lei da Aprendizagem, através da iniciativa do Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região.

A audiência foi presidida pela palestra do desembargador Paulo Alcantara, responsável pelo Programa de Combate ao Trabalho Infantil do TRT-6., que trouxe uma série de questionamentos e reflexões sobre a culturalização do trabalho infantil e o quanto ele é prejudicial ao desenvolvimento da sociedade.


Durante o debate foi destacado a importância do fortalecimento da educação e adesão a programas que facilitem o ingresso de jovens no mercado de trabalho, na idade adequada e com a continuidade dos estudos. Dr. Paulo, também pontuou a importância da Câmara de Vereadores está sintonizada com o tema.

"Parabenizo esta Casa, através do presidente Augusto Maia e do vice, Ronaldo Pacas, pela coragem de trazer esse tema para ser discutido pela sociedade. A Câmara de Vereadores tem como atuar nessa questão, através da criação de leis que regulamentem o trabalho infantil e fazer com que as empresas só recebam estímulo do Poder Público se aderirem ao Programa Menor Aprendiz", destacou.

O presidente da Câmara também falou sobre a importância da educação no combate ao trabalho infantil.


"A gente vive numa cidade que o mercado de trabalho é muito tentador e se tem a possibilidade de entrar no comércio e ganhar seu próprio dinheiro muito cedo, muitas vezes deixando o estudo de lado, sem pensar nas consequências no futuro. É muito importante atuar nesse convencimento pela continuidade dos estudos, disse Augusto Maia.

A vereadora Jéssyca Cavalcanti falou da necessidade de se discutir o tema no Polo de Confecções.

"Discutir a questão do trabalho infantil numa cidade do Polo de Confecções, onde a gente naturalizou que é normal uma criança está trabalhando, vem muito a calhar e também coloca o dedo numa ferida histórica e que as pessoas fazem questão de invisibilizar" falou.


Além de vereadores e representantes do Poder Público, participaram da audiência conselheiros tutelares, candidatos ao Conselho Tutelar e estudantes.



Nenhum comentário:

Postar um comentário