.

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Cachaça fabricada no Câmpus II da Universidade Estadual da Paraíba obtém registro da marca no INPI



Foto: Arquivo CODECOM


Um produto genuinamente regional, fabricado no engenho de alambique do Centro de Ciências Agrárias e Ambientais (CCAA) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Lagoa Seca, a cachaça Serra da Borborema obteve o registro da marca junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) e, com isso, deu um importante passo para, futuramente, ser comercializada e impulsionar de vez as pesquisas no setor de destilados do Complexo Agroindustrial da Instituição.

A produção, em fase de experimento no engenho, ainda é feita em pequena escala, mas poderá ser ampliada em breve. O setor de destilados do Câmpus II entrou em funcionamento graças a uma parceria público-privada entre a Escola Agrícola Assis Chateaubriand (EAAC) com a cachaça Serra Limpa, Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater) e o Engenho Santa Vitória.

O diretor do Câmpus II, professor José Félix, comemorou a conquista da marca e destacou que a cachaça Serra da Borborema tem qualidade para atrair o gosto dos paraibanos e impulsionar a economia da região . Ele destacou que, com o registro, a Universidade passou a ser a detentora da marca da Serra da Borborema, que ganhou identidade própria. O próximo passo é obter o registro junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o que garantirá a comercialização em larga escala.

A cachaça Serra da Borborema é fabricada de forma artesanal há um ano e meio, no Complexo Agroindustrial. Além do engenho de alambique, o CCAA conta com o Laboratório de Microbiologia para Fermentação, construído dentro do Complexo Agroindustrial do Câmpus II. A Unidade de Processamento de Fermentação e Destilados da UEPB possibilitará, no futuro, a criação de um selo que atestará a qualidade da cachaça produzida na Paraíba.


Informações: http://www.uepb.edu.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário