.

sábado, 8 de fevereiro de 2020

Alegria, irreverência, shows e recorde de público marcam 8° Baile Municipal de Santa Cruz do Capibaribe




Tido como uma das melhores prévias carnavalescas do Estado, a oitava edição do Baile Municipal de Santa Cruz do Capibaribe bateu recorde de público com ritmos saudosistas, frevo e muito axé. O evento solidário aconteceu na noite desta sexta-feira (07), no CECAP, anexo da Casa da Criança.
Idealizado em 2013 pela então primeira-dama e hoje deputada estadual, Alessandra Vieira, a festa resgatou a cultura dos tradicionais bailes de Carnaval, apoia diversas iniciativas sociais, incentiva o talento de artistas da cidade e aquece a economia. “Um evento consolidado, reconhecido pela sociedade e pela mídia como espaço de alegria e solidariedade. Somos imensamente gratos pelo apoio de todos os parceiros que vestem a camisa da solidariedade e fazem a sua parte na construção de um mundo melhor. Afinal, para todos nós o Carnaval é motivo de festa, mas sobretudo de compromisso com as causas sociais,” pontuou Alessandra. 


Além de agradecer aos parceiros e ao público cativo do Baile, Alessandra entregou uma placa como símbolo do reconhecimento pelo trabalho e empenho na realização do baile ao longo desses oito anos. Entre os homenageados estava o prefeito Edson Vieira e os membros da comissão organizadora. “Graças ao trabalho conjunto entre o poder público, a iniciativa privada, sociedade e comissão do baile, nós pudemos recordar e vivenciar momentos de encontro de amigos e familiares num ambiente de alegria e harmonia,” destacou o prefeito.












O homenageado desta edição foi o grupo da melhor idade Vitrine Cultural, composto por mulheres assistidas pela Secretaria de Desenvolvimento Social. Com 10 anos de existência, o grupo é visto como um exemplo de alegria, determinação e celebração à vida. Ao longo de suas edições, o baile já doou mais de R$ 100 mil a 16 instituições e projetos, e nesta oitava edição destinará o seu lucro para o associação de moradores do bairro Palestina e para o grupo cultural Quadrilha da Sulanca.
Como acontece em todas as edições, a comissão organizadora do baile elegeu as melhores fantasias. Uma tarefa difícil, considerando que mais de 90% do público estava fantasiado. Nas três categorias premiadas, o Bloquinho Quebra Aê venceu pela originalidade; Gilson Julião e Elaine Silva conquistaram o título de melhor fantasia de casal, caracterizados de Coringa e Arlequina; e o bezerrense, Marcos Baihé levou o troféu de melhor fantasia individual pela composição de seu personagem, a Fera, do musical “A Bela e a Fera”.
A animação da festa ficou por conta da alegria e do multiculturalismo musical da cantora Paula Voices, que aproveitou a oportunidade para gravar o seu DVD comemorativo de 18 anos de carreira. Em seu repertório estiveram grandes sucessos do axé music, frevo e maracatu. Em seguida, após 15 anos de sua última apresentação em Santa Cruz, o cantor, compositor e guitarrista Durval Lelys, subiu ao palco tirando literalmente os pés do chão de todos os foliões. Sucessos como “Quebra Aê”, “Desejo de Amor” e “Bota pra Ferver” trouxeram o embalo do carnaval baiano e a energia contagiante dos grandes blocos de rua.



Entre empresários, comunicadores, lideranças políticas e o público em geral, o oitavo Baile Municipal de Santa Cruz do Capibaribe reuniu quase dois mil foliões da Capital da Moda e da região. 


Aclamação da Miss - O Baile esse ano também foi palco para a aclamação da Miss Santa Cruz do Capibaribe 2020. Gabriela Araújo, estudante de Engenharia de Produção, recebeu a faixa e a coroa do prefeito Edson Vieira e da primeira-dama Alessandra Vieira. Ela vai representar a cidade no concurso Miss Pernambuco, que acontece no dia 13 de março, em Caruaru.





Imagens: Edson Arruda 

Nenhum comentário:

Postar um comentário