.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Pesquisa da UEPB sobre treinamento físico com restrição de fluxo sanguíneo é destaque em congresso nos EUA




O treinamento físico com restrição de fluxo sanguíneo (BRF) é um dos assuntos que têm recebido mais atenção em pesquisas em todo o mundo, no campo da Fisioterapia. Como uma das alternativas para a reabilitação permitindo que o fortalecimento e a hipertrofia da musculatura esquelética do paciente alcance bons resultados, essa abordagem tem recebido atenção especial no campo científico. E uma pesquisa desenvolvida na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) sobre o assunto ganhou destaque ao ser apresentada no evento Combined Sections Meeting, promovido pela American Physical Therapy Association, realizado em Denver, Colorado, nos Estados Unidos, entre os dias 12 e 15 de fevereiro.

Resultado de um trabalho conjunto entre os professores Magno Formiga, do Departamento de Fisioterapia da UEPB, e o pesquisador Lawrence Cahalin, da University of Miami (EUA), o estudo intitulado “Blood Flow Restriction Training: Beyond Strength and Hypertrophy of Skeletal Muscle” (“Treinamento com restrição de fluxo sanguíneo: além da força e hipertrofia do músculo esquelético” – tradução livre) apresentou que o treinamento físico com restrição de fluxo sanguíneo, usando cargas de trabalho mais baixas, menos repetições e durações mais curtas em diversas populações, alcança resultados muito positivos.

De acordo com o professor Magno, a pesquisa sugere efeitos sistêmicos a partir da aplicação desse tipo de tratamento, que foi compartilhado com o público participante do evento em forma de conferência. “Em meta-análise, nós apresentamos que exercícios aeróbicos de baixa e moderada intensidade com BRF produzem efeitos superiores na capacidade aeróbica e condicionamento físico de adultos quando comparados aos obtidos por indivíduos que realizaram os mesmos exercícios, porém sem BRF”, explicou o professor, acrescentando que tais resultados serão importantes para o desenvolvimento da pesquisa, uma vez que essa técnica será aplicada nas atividades da Clínica Escola do Departamento de Fisioterapia da UEPB.

Uma outra pesquisa também foi apresentada pelos professores Magno e Lawrence. Trata-se do estudo “Effect of Aerobic Exercise with Hypoxia on Maximal Aerobic Capacity” (“Efeito do exercício aeróbico com hipóxia na capacidade aeróbica máxima” – tradução livre), publicada em forma de painel e que apresentou o treinamento hipóxico intermitente como modalidade terapêutica. Segundo professor Magno Formiga, em meta-análise ainda não publicada, exercícios aeróbicos realizados em condições de hipóxia intermitente resultam em um aumento significativamente maior no condicionamento cardiovascular de indivíduos quando comparados aos mesmos exercícios realizados em normóxia.

“Apresentamos esse estudo na seção de Fisioterapia Cardiovascular e Pulmonar da conferência. Vamos começar a implementar essas técnicas na Clínica Escola de Fisioterapia da UEPB, a fim de oferecer resultados mais rápidos e eficientes aos usuários, já que essas modalidades podem ser utilizadas em setores como o de Fisioterapia Respiratória e Traumato-Ortopedia”, concluiu.



Nenhum comentário:

Postar um comentário