.

domingo, 26 de abril de 2020

Não foi um tiro no pé. Foi no coração!



O Presidente Bolsonaro (em quem votei!), parece que tem prazer em criar e alimentar crises, bem como, também em tomar decisões equivocadas, como a da semana passada, ao exonerar o até então competente Ministro da Saúde, Dr. Luiz Henrique Mandetta. Ontem, o País assistiu, incrédulo, numa entrevista coletiva transmitida em rede nacional, mais um desatino do nosso Mandatário-mor, quando tentou “explicar/justificar”, a exoneração do agora ex-Ministro da Justiça e da Segurança Pública, Dr. Sérgio Moro.

Que fique bem claro, que a nomeação ou exoneração de Ministros; Presidentes e Diretores de Autarquias; Fundações e/ou Entidades Públicas Federais, salvo melhor juízo, compete exclusivamente ao Presidente da República. Assim, não quero aqui, absolutamente, discordar da prerrogativa do Presidente em exercê-la.  Quero, sim, como dezenas de milhões de brasileiros, que nele votaram e também, (e disso tenho absoluta certeza), como outros milhares que nele não votaram, protestar veementemente pela maneira acintosa com que ele afastou temporariamente (ainda bem!), da vida pública, o seu melhor e mais reluzente General!

Como se não bastasse essa crise involuntária sem tamanho, provocada pelo coronavírus, o nosso (ainda) Presidente, continua teimando em tripudiar sobre o bom senso.

Sinceramente, Presidente Bolsonaro, dessa vez o Senhor não deu um tiro no pé. Foi no coração!  Do Brasil!


Por: Zé Minhoca - Vereador (PSDB).

Nenhum comentário:

Postar um comentário