.

terça-feira, 19 de maio de 2020

Tentativa de estelionato é impedida pela segurança do Moda Center



Durante a entrega de mercadorias, realizada nesta segunda-feira (18), no estacionamento do Moda Center, uma tentativa de estelionato que seria cometida contra aproximadamente 15 fornecedores foi impedida graças a uma denúncia e ao trabalho dos seguranças do centro atacadista.

De acordo com informações prestadas por uma das vítimas, um homem, que residiria no estado de Sergipe, teria feito uma compra de confecções no valor de R$ 1.040,00. A negociação teve início na última sexta-feira (15) por meio do WhatsApp e, segundo o falso cliente, a transferência do dinheiro seria realizada pouco tempo depois.

“Ele me mandou no domingo um comprovante de uma TEV (Transferência Eletrônica de Valores). Na segunda, quando cheguei no local combinado para realizar a entrega, havia mais duas pessoas para realizar o mesmo procedimento. Perguntei a uma delas se havia conferido o dinheiro na conta e ela disse que não precisava conferir porque o dinheiro entraria na mesma hora, porque tinha sido feito uma TEV. Porém, quando ela me mostrou o comprovante dela, o código-chave era igual ao meu. Como cada transação tem um código-chave, ‘peguei’ a malandragem dele na hora”, comentou.

Ainda segundo o comerciante, duas mulheres seriam encarregadas de receber as encomendas em nome do suposto golpista. Elas terão seus nomes preservados para não atrapalhar as investigações da polícia. O comerciante pediu para uma delas perguntar ao falso comprador sobre o destino das mercadorias. “Ele (o suposto golpista) mandou um áudio no WhatsApp dizendo para entregar em uma das transportadoras que estavam no Moda Center, que levaria a mercadoria para uma cidade em Sergipe”, pontuou o fornecedor.

O comerciante, que é da cidade de Surubim, procurou a segurança do Moda Center que deu todo o suporte, com a ajuda da Polícia Civil, para a interceptação das mercadorias. Na transportadora indicada havia três fardos, contendo encomendas já embaladas de nove fabricantes diferentes. Outras seis pessoas que foram fazer entregas no momento da abordagem policial, desistiram de fazê-las ao tomar conhecimento da ocorrência.

As mulheres e o comerciante autor da denúncia prestaram depoimento na delegacia de polícia para onde também foram levadas as mercadorias interceptadas. Uma delas afirmou que não conhecia pessoalmente o suposto golpista, mas que teria sido contratada para receber os fardos após conversas em redes sociais.


De acordo com o delegado Dr. Ênio da Silva, o caso seguirá em investigação e quem se sentir lesado poderá comparecer à delegacia de plantão, na Rua Amaro Aleixo, SN, Bairro Novo, próximo ao Parque Florestal Fernando Silvestre, munido de documentos, para realizar o boletim de ocorrência e, após conferência, fazer o resgate das mercadorias apreendidas.

A administração do Moda Center Santa Cruz recomenda aos fornecedores que, ao efetuarem suas negociações com a modalidade de pagamento por ‘transferência/depósito bancário’, só liberem as mercadorias após conferir se o dinheiro foi realmente creditado na conta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário