.

segunda-feira, 15 de junho de 2020

Não é só a Covid-19 que Preocupa!


Enfrentado a maior crise da saúde pública, na história da humanidade, causada por essa pandemia da Covid-19, que deixou o mundo de joelhos, e fez os governantes de todos os estados brasileiros concentrarem (corretamente), suas ações para combatê-la, algumas outras doenças não erradicadas, como o Sarampo; a Dengue; a Zika e a Chikungunya, ficaram relegadas (erroneamente), à um perigoso segundo  plano. 
Sinceramente, não sabemos qual o motivo de a chamada “grande imprensa,” não ter ainda, abordado com a real atenção que merece, essa gravíssima questão, pois, é sabido que as enfermidades acima descritas, continuam sistemática e insistentemente a fazer parte do nosso cotidiano, atingindo principalmente, as camadas mais vulneráveis da nossa população.
São preocupantes os registros de pessoas afetadas pelo Sarampo e pelas recorrentes Dengue\Zika\Chikungunya, em todos os estados do nosso País continente.
Pernambuco, e é justamente a nossa preocupação maior, salvo melhor juízo, ostenta o triste patamar de ser o 3º estado, com o maior número de infectados pelo Sarampo, ficando atrás, apenas de São Paulo e do Rio de Janeiro.
A Dengue está avançando agressivamente e o Brasil, já tem mais de 630 mil casos notificados e aqui em nosso estado, até 31 de Maio, registramos quase 13 mil, com 1.565 casos confirmados, 01 (uma) morte e outras 13 (treze) em investigação.
Em relação à Chikungunya, os registros pesquisados, são de quase 600 casos até 28 de Fevereiro, mas em relação ao nosso estado, não dispomos de dados confiáveis, entretanto, enquanto as “ditas autoridades”, não se alertam para essa grave e real situação, vamos continuar fazendo a nossa parte, convocando a população para colaborar, tomando algumas providências simples, porém eficazes, para combater a proliferação do mosquito “Aedes aegypti”, transmissor dessas doenças mortais, como:
Manter caixas d`água; cisternas; tonéis ou qualquer outro reservatório, sempre fechados:
Não jogar lixo na Rua, ou em terrenos baldios;
Jogar no lixo, todo objeto que possa juntar água, como embalagens usadas; copos descartáveis, e, guardar, sempre, as garrafas vazias, de boca para baixo.

José Bezerra da Costa (Zé Minhoca)
Vereador (PSDB)

Um comentário: