.

domingo, 25 de abril de 2021

Adeus, Cebolinha! - Por Zé Minhoca

 

Ao anoitecer, deste Domingo, 25, o velho Cemitério São Judas Tadeu, foi palco de uma emocionante homenagem de despedida, ao amigo Naelço Siqueira, (“Cebolinha”), que lhe prestaram familiares e centenas e centenas de amigos, especialmente, colegas caminhoneiros, representantes da categoria da qual ele foi participante ativo por mais de quarenta (40) anos.

 

Amigo de “Cebolinha” há vários anos, nossa amizade se estreitou nas gostosas caminhadas que fazíamos, nas serenas (às vezes, nem tanto), madrugadas santa-cruzenses. Caminhadas essas, que depois de tanto tempo, ele deixou de praticar, alegando motivos de ordem pessoal. E foi ali, no contato diário, tendo os primeiros raios do sol como testemunha, que descobri o verdadeiro “Cebolinha:” bom caráter; amigo solidário e de um coração generoso, característica, também, de todos os seus irmãos e irmãs.

 

Enquanto o caixão adentrava o Cemitério Velho, lembrava-me de que, quando não existia Celular e o telefone da minha casa tocava (nas mais diferentes horas do dia ou da noite), todas às vezes, com sua inconfundível voz, carregada com uma doce provocação, perguntava: “Guarda, tás dormindo?”

 

Até qualquer dia, amigo! Vá em paz, e saiba que você deixou em nós, uma enorme saudade!

 

Zé Minhoca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário